Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Sala de Imprensa Notícias Governo quer 100% de Maceió com esgotamento até 2018
06/10/2015 - 17h16m

Governo quer 100% de Maceió com esgotamento até 2018

Programa de esgotamento sanitário será lançado ainda este mês

Governo quer 100% de Maceió com esgotamento até 2018

Seinfra quer concluir sistema de esgotamento sanitário e atingir 100% da capital. (Foto: Neno Canuto)

Paula Nunes

 

A meta do Governo do Estado é sanear 100% da capital alagoana até o fim do mandato do governador Renan Filho. A informação foi dada pela secretária de Estado de Infraestrutura, Aparecida Machado, em entrevista para o programa Verdade e Informação, da TV Mar.

 

A secretária frisou que está sendo lançado, ainda este mês, um programa de esgotamento sanitário para Maceió. Ela explicou que  saneamento engloba água, esgoto, drenagem, e tudo que desrespeito à saúde, que é mais amplo.

 

“Nossa meta é para até o final do governo do Renan Filho, tenha conseguido sanear 100% Maceió, mas, de imediato, o que nós já temos de projeto deve chegar a 70% da capital”, disse.

 

Aparecida Machado explicou que está ficando cada vez mais difícil construir algum empreendimento na capital de Alagoas, sem que exista um sistema de esgotamento sanitário.

 

“Em Maceió, nós apelamos para as estações compactas, só que essas estações compactas de tratamento precisam de uma manutenção que não está sendo dada, e mais cedo ou mais tarde elas param de funcionar, e nós teremos o problema de transbordo e de esgoto. Por isso, nós temos que partir para soluções definitivas, e não mais paliativa, como é o caso das estações compactas de tratamento de esgoto”, contou.

 

 

 

A secretária frisou que o que está fazendo diferença nesses primeiros dez meses de mandato do governador Renan Filho é a disposição para fazer acontecer, em um ano, o que nós consideramos um dos mais difíceis para fazer: obra pública andar. Porque a contenção de recursos dos ministérios é muito grande.

 

“Então, se não dá para fazer contratações muito altas com o governo, vamos fazer com parcerias público-privadas, se não é possível iniciar novas obras, vamos concluir as que estão em andamento e essas não vamos deixar parar; em um ritmo mais lento, mas sem parar a obra. A vontade de fazer é o que tem muito nesse governo”, explicou Aparecida Machado.

 

Quando questionada a respeito das obras paradas no Estado, a secretária informou que as que estão paradas hoje, não são por falta de recursos. “Elas estão paradas por necessidades de adequação de projetos ou necessidades de revisão por parte de acordos do TCU [Tribunal de Contas da União], que fizeram apontamentos que temos que resolver”, respondeu.

 

Ela citou o caso específico do Vale do Reginaldo. Segundo Aparecida Machado, a Secretaria de Estado de Infraestrutura não está conseguindo, ainda, que as pessoas vejam o que está sendo feito na região, porque tem muita coisa de bastidor para ser feita, como regularização de área, contenção de encostas, que já está na licitação para poder iniciar a obra de habitação.

 

“Continuaremos fazendo obras relacionadas à saúde, em parceria público-privada ou com ministérios, com a bancada federal, que está indo buscar recursos pra isso”, finalizou.

 

Ela concluiu a entrevista falando dos principais desafios ainda para 2015.

 

“Tenho que continuar mantendo as obras ativas, mesmo com a crise, não deixar parar essas obras, concluir as obras até o fim do ano, como o esgoto da Pajuçara, a macrodrenagem do Tabuleiro, antes do próximo inverno, para evitar inundações, como também terminar a linha expressa, que vai resolver definitivamente os transbordos na região", finalizou Aparecida Machado.

Ações do documento

banner_lai+sic_LATERAL-A-PLONE3.jpg
banner_lai+sic_LATERAL-B-PLONE3.jpg

banner_GERAL_LATERAL_sic-plone3.jpg

ouvidoria.png

banner-transparencia.png

Órgãos Vinculados

Casal

 

DER-AL

 

Serveal

Integra

Diário Oficial

cpl.jpg